sexta-feira, 9 de abril de 2010

Reticências

entrelinhas
de um
a
b
i
s
m
0

sem
fim

como folhas que
do alto caem ao
sopro de mercúrio


estrelas 3 marias
. . .

as reticências

. . . dos céus

micropontos dos cosmos (e o céu assina)

ao fundo
oposto do
poço posso?



ps: estrofes (?) perseguidas junto a tiago abreu...

www.arcoelira.blogspot.com

Um comentário:

Arco e Lira disse...

o rapá. esse link aí não é do meu blogosfera não. o meu é poesiadascavernas.blogspot.com

Seguidores