sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Festerê CAOStrução

O Plebeu é um camarada nosso que morou uns aninhos em UDI a procurar festas na madrugada e a se manifestar artisticamente em projetos como o "Anarco-Íris", depois ele voltou para o interior de São Paulo por uns tempos e por lá ficou, a guardar energias e finalmente voltar pra minas no início do corrente ano. Ufa! E daí?! Daí que o plebeu anda com bons projetos de bandas e festas, taí!


Festa CAOStrução: 19/outubro (DOMINGO)a partir das 13 hs no
espaço contracultural gO$mA - Av. Afonso Pena, 37 - Centro.

Por cinco pilas você vai a uma FESTA CULTURAL com plena INTERATIVIDADE do público através de demonstrações artísticas e manifestações culturais para celebrarmos esse grande atraso social. Decoração: (anti)arte, grafite(traga tinta!), mural, performances, bandas, sarau, fogueira, música(traga instrumento!), alimentos vegans, e muito mais...
gO$mA: um local diferente, o lar dos incompreendidos... Um ambiente isento de preconceitos,de superstições e moralismo; onde o ERRADO é o CERTO!!!!!
P/ apresentações ou obter + info: espaçogosma@hotmail.com
Compareça, presencie e PARTICIPE!!! Mostre o seu TALENTO, e torne-se parte
do espetáculo!

Deu!!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

...

River of thrills:
Cada lágrima será vingada.

domingo, 5 de outubro de 2008

Ele

Ficara ali parado, bem no meio de seu belo prato de ovo-com-farinha. Retido na cadeira por uma torrente de pensamentos, uma tropa de questionários.

sábado, 4 de outubro de 2008

Oficina de fanzines

Ontem, dia 3, rolou no Campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) uma baita legal ofizine. Com apoio do DCE foram produzidos algo em torno de 8 zines a serem publicados e divulgados puraí e rolou também um varal meio "teia de aranha" em que a galera expunha os artefatos de celulose e tonner, vide a zine distribuição de "O Grito", de Matheus Araújo. O meu fanzine da vez foi o "Pisa na Guitarra", com histórias em quadrinhos e algo do que há neste blog! Se alguém quiser esse zine pode mandar uns selos para Caixa Postal 216 - Araguari/MG - 38440-000 em nome de Vallim que o receberá no conforto de seu lar. Ciao!!

Anais do Appeal

Para mim o sex-anal é sazonal, algo assim como um comum elo fálico! O canal.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Nada comum dia após o outro. E nada também tão tão quanto maneiros provérbios, sobretudo se mineiros:
Cuide com cautela, não facilite e, de jeito maneira, passe o carro à frente dos Boys!!!

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Hoje não é dia...

Nestes dias de casa suja, todos os músculos de meu corpo doendo, a minha única companhia toca a ponta de meus dedos, como se falasse comigo enquanto traduzo seus códigos. Escuto Billie Holliday como se estivesse embriagada, a música chega ao fim e sinto que agora teria de sorrir...
Mas não posso!! Caro leitor, não exija de mim sentimentos que não me convencem. Nessa vida corrida em que o tempo medido pelo pulso todos os dias, estar aqui sentada me faz parar de respirar por um minuto e esquecer o gás carbônico, o chefe, o trampo, o tiner, o time, o tempo... Mas não me faz sorrir!
Estar aqui agora me faz correr mais depois e se quisesse sorrir ligaria a T.V., se quisesse mesmo esse tempo para mim me masturbaria, e se enfim não tivesse dúvidas...
Ah sim! Isso sim me faria sorrir!!!

Aline Romani

Eu

Como uma flecha ao espaço arremessada...
Uma parábola.
Tal
Vez.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Caixeiro Viajante

http://www.youtube.com/watch?v=5uowm1CMPK4


Tenho família, já morei com minha tia.
Mas
o que
eu

mesmo queria
e r a

encontrar o meu

A M O R.

(Seu Juvenal)

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Sulidão

Num dia de encantos singulares tal
Vez.
Um dia de Sol, chuva, garoa...
Garotas ou
Só lhe dão!!
E só lhe dão o que não podes.
So(l) lhes dão o que não queres.

domingo, 21 de setembro de 2008

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Sacro


Sacro brinde, aos que em página(pô)calipse,
Verde e seco mato em seda bíblica encoxam.

Um,
Brinde ao ar desenhado:
Volátil coração esvoaçante.
Forma-fumaça:
Acre, inebriante névoa espectral.

Versículos tais, anais graduais.
Reza (em) presa, meu présa,
Mas... se é que vocês me entendem:
Amém!!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Voem, voem borboletas...

Conheço uma cara muito bacana que hoje em dia está trabalhando com agricultura orgânica numa chácara em cidade satélite da corruptolândia capital Brasília, antigamente ele tocava numa banda e cantava mais ou menos assim: "Voem borboletas, antes que a chuva caia e atinja o casco dos besouros!"... Esse cara, posso chamá-lo de Barberatto (www.myspace.com/rockvoltage), é sociólogo, e lia um outro que dizia que só pensava quem andava, e quem andava pensando que estava pensando mas em nada maquinava nada pensava. Ou em nada pensava, quase.
E quase que pouco se anda hoje em dia, seja por conta do Sol na moleira, seja pela pressa em pegar um ônibus ou parar logo na esquina, ou no mais próximo bar da esquina. Um qualquer, ou no posto do Zema mais próximo... Em uma loja de conivência, conivência com a probreza, conivência com a miséria!! E dá-lhe Fast-Food!!! Fashion Fast-Fug-Fug!!

Beto Martins, sócio majoritário da Editora MRD (a que lança meus zines celulózicos, as atuais revistas do pernambucano Watson "Barroso" Portela e o traditional, and cool cult, Meninas Viciadas) acaba de ter um projeto de oficina de quadrinhos e fanzines, a ser aplicado em escolas públicas do município de Araguar, em Minas, aprovado pela lei de incentivo municipal. As oficinas serão ministradas durante o ano corrente e terá a colaboração do uberlandense Rosemário H. de Souza, outro artista dos quadrinhos triangulenses. Bons frutos aos nossos quadrinhistas e à trupe de crianças contempladas com essa oportunidade de travar um contato tão direto e divertido com a arte sequencial que são as Histórias em Quadrinhos.

Maiores informações nas comunidades do Orkut: Editora MRD
Meninas Viciadas

ou no perfil do ...Valium

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Aniversário no Brejo: A pocket show at 29/12/2007




Era um sábado de fins de Dezembro, dia do poket show “Rock in Brejo”! A festinha de aniversário (o que acabou apenas sendo) estava sendo planejada havia já algumas semaninhas, desde quando voltei pra passar o mês em Minas. A idéia era juntar o errante Sapo Bugre, A Boi Sonso Productions e a I ? M (Independente ou Morte, produtora de Uberlândia), com parceria/apoio do Estúdio Arca, http://www.radioburiti.com.br/ e FAEC (Fundação Araguarina de Educação e Cultura) e assim oferecermos naquela tarde de sábado, num dos espaços da bela e preciosa Casa de Cultura de Araguari, um pouco ARTE e DIVERSÃO para um público enganadamente estimado em pelo menos 200 seres.
Sim, a idéia é uma coisa, mas a prática pode não seguir estritamente os planos e acabar por ser outra, não é mesmo? Querido bloguinho de meu bem querer?!! A banda “Os Haxixins”, de Sampa, não puderam comparecer, mesmo a gente pagando uma van pros caras... tá. O telão e os vídeos ficaram a meio caminho entre Ituiutaba e o pé de jambolão na Ufulândia... tá. Gustavo Vale, o impertinente, frenético e insano babão ator de Goiânia não veio também. Motivo: trabalho... tá. Daí, pra completar o quadro, os cartazes e flyers, que teriam de estar puraí no mínimo dia 20 e que estavam, inicialmente, de feitoria terceirizada, foram-se enrolando e nos enrolando até que, por fim dia 28 ainda nem existiam. Mas estava a rolar uma baita divulgação nos orkuts e comunidades da vida. Ou seja, todo mundo sabia do evento, pelo menos em Uberlândia a galera tava toda ligada... Apesar da recepção “Banho Maria” (se é que vocês me entendem...) alguns pareciam estar dispostos a vistar o brejo naquela tarde roquenroll de sábado. Poia afinal de contas, sempre comparecem bastante uberlandenses nos “Reri-Rocks” que rolam de vez em quando. E nossos flyers e cartazes, feitos às pressas com um quadro de Salvador Dali ao fundo tinham ficado, diga-se de passagem, de muito bom gosto. Mas não deu quase ninguém. Mas foi foda!! Um, diria, investimento. Pena a “Buriti Radio”, estar de férias e ter comparecido sem nem um bloco de notas pra registrar nem depois divulgar nada, vai entender que tipo de apoio as pessoas andam oferecendo hoje em dia... Que tipo de eventos e produtores merecem ou não atenção da mídia, seja ela autoproclamada “alternativa” ou não. Ah! A Drica (do jornal “O Correio Uberlandense”) também não foi, mas era porque estava de plantão... Senão, disse-me anteriormente, teria comparecido e “coberto” o pocket evento.
A única banda araguarina sumiu e nem deixou rastros ou notícias, o Anil (Anal, para os íntimos), justamente a banda que vive a aparecer na porta dos eventos que organizo pedindo pra tocar (isso sem terem sido convidados) caíram fora, bundaram, neca de embarcarem... Será que acabaram por descobrir que o “Rock in Brejo” não era um Open Bar playbinha qualquer? Daí por isso não deram as caras, ou notícias? Tsc! Tsc! Tsc! Assim vão continuar tocando (Sacrificando, melhor explicitar!) apenas “Voodo Chile”, de Hendrix, a vida inteira. Mas há status. E status, carinha de mau, carrinho do paipai sempre contuarão fazendo sucesso, pelo menos por mais uns trinta anos acho que sim.
As outras bandas tocaram sem retorno, o “Seu Juvenal” (Uberaba/Ouro Preto) ficou puto com isso, com eu não ter visto o show deles ou com a falta de público rockeiro (que boto fé parece definitivamente não existir em Araguary) e nem sei mais com o que mais estavam estupefatos... Sei que corremos atrás de aparelhagem suficiente e nada conseguimos, tudo alugado pro fim de ano, pra ranchos cornonejos, para as piscinas e pagodinhos babacas e vulgares. E os juvenais, que haviam até ensaiado uma música da época da Geração Desemboque, a “Rio Claro”, para eu cantar com eles, estavam a sair sem se despedir. Mas como assim? Araguary, me tira daqui??????????!!!!!!!!!!!! E daí quem ficou puto fui eu! Fui lá e tentei conversar, mas zaccamigo (?) de longa data procurou me ignorar, tipo assim... “Te risquei de minha agenda”, saca? Foi assim como me senti. E mandei-o foder-se! Grandão. Mas a galera adorou a apresentação,
apesar de curta, e eu continuo com a opinião e a certeza de que o “Seu Juvenal” (www.myspce/seujuvenal) é uma das melhores bandas do Underground tupiniquim. Só precisam de um “handicap”, ou de uma pequena abertura na pressão de alguma panela para que cresçam, pois fermentada e no ponto a banda já está há anos.

Passado o pequeno “stress”, eis que surge a “Banda de Blues de Joe Strume”: tosco, visceral, totalmente sujo e garageiro. Alguns dos presentes acharam a performance da dupla um tanto realmente estranha, as músicas “non sense” e nauseantes, já outros, como eu, adoraram! Ou adoraram e acharam isso também!! And... We dance, and dance, and dance até o suor pedir pra parar de pingar! “Banda de Blues de Joe Strume” é genial, a melhor banda de Uberlândia, e uma das únicas que não plageiam ninguém... Mesmo porque não conseguem! Coming soon, a 7” EP of Joe Strume’s Shit-Rock n’ roll band! Contrate-os! Paguem o gás para eles irem tocar e se destruir em sua cidade, não importa aonde, eles são muito escrotos e feios! E fazem um barulho do caralho. Em tempos de brit-pop e indiezinhos produzidos e sem conteúdo esses caras são um contraste à grande maioria do insonso público, bandas e galerinhas que vão a shows geralmente pra mostrar o Adidas, o dread novo ou o cortezinho de cabelo a “a la Strokes”. E chega! Que já está ficando chato como eu! Sim, mas só eu como eu, viu?
Então, eis que sobe ao palco (?) a banda Arca, tocando uma sonzêra setentista recheada de poesias e muita energia. O baixista Rafinha “trilocarsso” não faltou, mas esqueceu de levar o instrumento! Então ficou lá... Chapadaço e tocando “air-bass-guitar”. E ainda por cima depois ficou me chamando de louco... Aliás, todo mundo nesse dia me chamou de locarsso! É cada uma, cada um... Ora bolas!! Nem no meu aniversário não posso ser eu, pô?!
No outro dia, Domingo pé-de-cachimbo, estava marcado o “Dia do Caos”, no espaço dos “diou”, ou melhor, na intimidade do Porão Pub (R. Paranaguá, 666) mas todas as bandas faltaram, menos a minha. Daí então foi rolou a primeira apresentação pública do “Le Cicloplegiks”! Oh Yeah! Rá! Rá! Rá! Rá! Wow!!! Tocamos a já conhecida “Sessão da Tarde” e mais uma pá de experimentações rock and rollers. E rolou muita catuaba, grass-joints, Antarcticas e o mais importante, a presença de my green eye’s girl e dançantes, gaitantes e cantantes amigos de insanidade. R.O.C.K. bruto.
É, pra um Roquenrolling Festival o “Rock in Brejo” se deu muito bem como a melhor festa de aniversário de minha vida, o dia em que fiz 29 aninhos e provei mais uma vez ainda não ter largado a adolescência.
Rodrigo Vallin

ai, acho que era isso aí, faltou umas fotos e um vídeo, esse aí ó:
http://www.youtube.com/watch?v=3jijV9sfQsU

entre e veja...
depois tento reformar a post!
buenas notches gueros!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Então é Natal, e carnaval!


Pasto a pasto, vaquinhas vão, mugindo a ruminar... Enquanto isso, embebem-se corvos em coponhaques, e os hímens dão-se na imersidão. Dão-se o que haveria de sacro ser. Dão-se infanto-hímens a barbados geralmente vindos de além-mar, dão-se a troco de merrecas, centavos de euro-folga, dão-se a grossos arrogantes que cá vêm a fim de espalharem doença e ganância em forma de um turismo moldado à bruta sacanagem, sodomia. Sexo sujo na esquina do ocidente. Meninas de 9, 10 anos numa roda absurda de brincadeiras sem graça, pior, uma graça unilateral, movida à drogas pesadas e degradantes, viagras e personas non gratas em nosso país, com sorriso de tio Sam e uns trocados na cartola. A seduzir a inocência, a aproveitarem-se das mazelas brasileiras, das mazelas de uma cidade batizada Natal. Uma cidade colorida e moderna, acolhedora e com muitas e muitas atrações para todos os gostos e nacionalidades... Christmass metropolis! Vento, dunas, tatoos, fanzines, sebos, vinis, gibis, praias e sotaques, o melhor idh da região Nordeste, um local perfeito pra se falar Esperanto e conhecer personas legais, ou não.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Civilizados?

Dizemos que somos civilizados, que construímos uma civilização. A civilização ocidental. No dicionário encontramos que a palavra significa:
1) Estado de adiantamento e cultura social.
2) Ato de civilizar.
3) Acumulação e aumento de habilidades manuais e de conhecimentos intelectuais e a aplicação deles.

Pela definição do dicionário, não diria que somos civilizados. Não acho adiantamento carros de luxo que vomitam fumaça no ar. Muito menos os tratores urbanos chamados camionetes, que são usados mais para acariciar o ego do que para locomoção. Não penso ser civilizado o homem que passa diante de outro que está caído, com fome e sem dignidade.

Toda nossa ética, direito, geometria, política e muito mais recebemos dos gregos. Esse povo desenvolveu os conceitos que usamos e defendemos. Só que eles fizeram isso, há 3000 anos atrás. E durante todo esse tempo pemanecemos parados, evoluindo tecnologicamente, mas não socialmente. Até mesmo regredimos! A idade média, também chamada de idade das trevas, fez o caminho inverso e jogou fora todo o avanço que os gregos nos legaram, e que só foi resgatado no renascimento.
Nós, o que fazemos? O que produzimos? Qual a nossa herança para o futuro? Haverá futuro?3000 anos, e continuamos na mesma. Conseguimos regredir na evolução e nos tornarmos cada vez piores.

Matheus Araújo Aguiar

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Patentes

Hoje plantei uma muda de hiroshimática roseira, e o vermelho das rosas assediados são pelas ações da “holly-sacra-wood”!
A cor.
Querem-na patentear, o caco-laco do cata-lata também vermelho...
De Sol. Astro a ser patenteado?
Rosas.
Rosam e continuam vermelhas, vermelhas até que sequem e caiam.
Daí descoloribus, degustibus and non est disputandum.
Entretanto, contudo, todavia...
As mudas costumam mudar, e as murchas parecem poder rosar.

No poetry today


Please, just me and my box cigarretes, do not disturb. Minimal (just like i'm feeling). Sadness and infinite smokes in my heart and vains. Nicotine trains. Mirrors full of shadows and pure solitude.


ou


Ardores e anacrônicos reflexos errôneos de um céu sem cor, e nossa vez nunca chega quando prontos estamos. Sempre nos pegam com o cós das calças nas mãos e esquecidos ficam nossos secos olhos dentro de uma porra de cortante vidro de maionese.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Miss São Aborto

Miss
São
Abor
to:

a
b
o
r
t
i
n
a
g e n s (?)

in
a
c
t
i
o
n


ABORTAÇÃO-ABORTINAÇÃO-SÃO
Ex- t e r i l i z
A Ç Ã O
emmassasãoemmassasãoemassasão
são
ão
ao
aniquilamentoaborto-all
actoall
meio
morto
fim
de
nidificação

N I Q U I L A R
(a)
! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? !

! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? !

! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? !

! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? !

! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? !

! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? ! ? !

as
....são...

Actoall

Aqui estão os badalados
A N A I S
da
questão:
A
Ex-
tupidez
as
cor
(lo)
ridas
rum'oeste
permeia
o
co
ti
di
â
nus

populacio-anal

A C T O
A L L

V I X

VIX
Em rebento d’esticada
A corda
Ex-cravos aturam
Ex-cravos dão-se
Na imersidão
Dão...
Nada de si
Num mar de nãos
No, no, no, no, no, no, no, no
Rumar à beira
Mares, marés...
Naus sem eira
Ex-curis dão-se em vãos
E vão...
Se?
E vão...

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

sábado, 19 de janeiro de 2008

A Q U E L A

ex-tragoso
cigarro
fuma-se
a
si
mesmo
a
bando
a
nado
no
cinzeiro

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Uberaba, Rock, Amizade e Tradicionalismo.

Essa postagem nem precisa de texto...
Quem sabe amanhã talvez?
And i'm am an Antichrist...





Fúteis, falsos, estranhos, me desculpem, preciso de uma Heineken. Uns cinco litros, no mínimo.

domingo, 13 de janeiro de 2008

Cavaleiro do Apocalipse


"O presidente americano, George W. Bush, disse neste domingo que o Irã ameaça a segurança do mundo. [...] O presidente americano disse que o Irã financia atividades de extremistas, põe em risco a paz no Líbano, envia armas para os talebãs no Afeganistão, intimida os países vizinhos com retórica alarmista, desafia as resoluções do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) e desestabiliza o Oriente Médio."
[Fonte: Folha online. http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u362950.shtml]


É muito engraçado e ao mesmo tempo revoltante ver o texas ranger Bush dizer que o Irã ameaça a segurança do mundo, quando quem invade o Afeganistão e o Iraque em menos de 3 anos é o próprio rei dos estados (des)unidos da América. Só se o cara considera que esses países, não fazem parte do mundo, porque quem está lá com certeza não se sente seguro.
Ai pra completar o (power?)ranger azul-vermelho-estrelado Bush ainda diz que o Irã desafia as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e desestabiliza o Oriente Médio. HAHAHA! Não precisa de memória de elefante pra lembrar que quem passou por cima da ONU pra invadir o Iraque foi ele! E nem é preciso dizer que todos os misseis e bombas estadounidenses, levando a paz e a democracia pro oriente médio, desestabilizaram não só as casas, hospitais e escolas, mas também a vida de milhares de pessoas que não tem nada a ver com a ganância por petróleo, armas, dinheiro e (claro) sangue, dos vampiros multi-milionários dos Estados Unidos da América(que América?!).
Enquanto eles ainda não encontram o Bin Laden, que está escondido em alguma caverna por ai, cuidado!(quanta ingenuidade...), o maior terrorista do mundo continua a solta, planejando seus ataques diretamente da White (Red Blood)House, em Washington D.C, capital da tão famosa democracia-exemplo-para-o-mundo estadounidense.

por Matheus.-> maa_pit@hotmail.com

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Sol em Curityba: Garota e só-lhe-dão!

Boi Sonso entrevista a banda Relespublica!! 9 de Abril de 2005
Local: Motorrad Pub zona central da cidade.

Boi: Há quanto tempo estao nessa ai, tocando... Faz ja alguns aninhos, ne... Podem voltar um pouco ao passado?

Fabio Elias: A gente toca desde moleque mesmo, desde os quinze, quatorze anos. A gente não sabia nem afinar os instrumentos mas ja tinhamos banda. Foi em 89 que a gente começou, na sala da casa do Moon... So que a gente so veio a lançar nosso primeiro compacto mesmo, nosso primeiro trabalho de estudio em 93. De la pra ca a gente nao parou mais de trabalhar as musicas e de mostrar nosso som... O forte da Reles e o nosso proprio som, ne? De lá pra cá ja foram mais 3 cedês. Estamos terminando agora o quarto e estamos com muitos shows na bagagem e... Muita loucura, muita coisa boa ai rolou! (risos) Muito roquenroll!!!!

Rodrigo Vallin: É como e tocar em dias nublados, cheio de raios e trovõe? Em Curityiba as vezes falta sol...

Fabio Elias: Garoa e solidão!! (risos) Curityba é garoa e solidão. Esse clima quase londrino, esse fog assim... Durante oito ou nove meses do ano tem pouco sol aqui. Até o Sol aqui dizem que e um Sol frio! Porra, o ambiente e propicio pro roquenroll... assim, sair com um litrão de vinho cheio de ideias na cabeça pra escrever uma letra de uma musica e, tem banda pra caramba aqui na cidade. Um monte de bandas legais que a gente viu surgir, viu acabar. E ao mesmo tempo que acaba uma banda aqui ja começa outra e... então, aqui o pessoal curte bastante roquenroll mesmo e esse clima ajuda bastante, assim.

Boi Sonso: Já tocaram em Estocolmo?!

Keith Moon Cover: A cada dia a gente vai pra Estocolmo, volta (risos)! Depende do que toma!

Valium: Suzie and Dayse estavam por lá?

Fabio Elias: Elas estavam la sim, mas elas tinham muito pelo no sovaco... (risos) Daí a gente mandou elas irem depilar!

Keith Moon Cover: (risos) A gente falou pra elas irem tomar um banho também!

Surto Irreal: O segundo disco de voces tem um que de Soul, de Funk e tal... Dai ja o terceiro ta mais clean, tá, pra mim, um rock um pouco mais básico e mais divertido. E o proximo disco?!

Fabio Elias: O lance e que esse disco mais soul, que voce falou ai, era uma outra formação a banda. Eramos um quinteto, tinhamos mais um teclado, o que muda bastante a sonoridade basica do Rock né... E tinhamos mais um cantor. Então, depois que a gente voltou ao trio original, que rolava desde o começo da banda. A gente também voltou ao Rock básico. Voltamos ao que sempre gostamos mesmo de fazer.

Keith Moon Cover: Que era aquele lance mais cru assim, mais visceral mesmo. De simplesmente botar pra fora as ideias de um jeito o mais diretamente o possível. E por o povo pra dançar!! Roquenroll é diversao total né bicho! E, tem a funçao de você se divertir e botar essa galera toda ai pra curtir. Como voce viu, o Motorrad tá cheio de gente pra ver as bandas tocarem. E claro que as pessoas prestam atenção no que as letras têm a dizer mas... O grande lance do Roquenroll é diversão total mesmo!!

Valium 666: Aqui e em Goiânia as historias sao mesmo iguais??

Keith Moon Reencarneted: Cara, Goiânia assim, a gente tem uma história com essa cidade.
Uma história que se confunde bastante com a história da própria Reles.
A gente foi convidado do nada pra tocar no quarto Goiânia Noise, daí no caso estávamos lançando nosso primeiro disco (E o Rock n’ Roll Brasil) e o show que a gente fez lá foi muito legal. Daí então partiu de lá o convite de lançar um disco pela Universal e daí lançamos outro disco. Então daí a gente voltou várias vezes pra lá, ficamos amigos do Fabrício Nobre, do Léo Bigode, Marcio e toda a galera da Monstro Discos...
O disco As Historias São Iguais saiu pela Monstro e tal. Todas as vezes que a gente tocou em Goiânia foi muito legal! É incrível uma cidade como lá. Tudo bem, Curityba tem esse clima frio, cara de Roquenroll. Agora lá é uma cidade quente pra caramba, no meio de fazendas, música sertaneja pra caramba e tem uma galera Roquenroll que é muito louca. Muito mais louca que aqui.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Poesias para o começo do Anûs...

Esses dias encontrei um primo que me apresentou pra galera como "o extremo do mineiro louco", mas ó... Sei não, hein?!"
Quem sou eu?
De onde venho?
Sou Antonin Artaude basta que eu o diga.
Como só eu o sei dizere imediatamentehão de ver meu
Corpoatual, voar em pedaços e se juntar sob dez mil aspectos diversos.
Um novo corpono qual nunca maispoderão esquecer.
Eu,
Antonin Artaud, sou meu filho, meu pai, minha mãe, e eu mesmo.
Eu represento Antonin Artaud!
Estou sempre morto.
Mas um vivo morto.
Um morto vivo.
Sou um morto sempre vivo.
A tragédia em cena já não me basta.
Quero transportá-la para minha vida.
Eu represento totalmente a minha vida.
Onde as pessoas procuram criar obrasde arte, eu pretendo mostrar o meuespírito.
Não concebo uma obra de artedissociada da vida.
Eu,
o senhor Antonin Artaud, nascido em Marseilleno dia 4 de setembro de 1896...
Eu
sou Satã e eu sou Deus, e pouco me importa a Virgem Maria.

Seguidores